Compartilhe:

Via Agência Sergipe de Notícias – texto retirado na íntegra

Dez unidades de ensino da rede estadual de Sergipe aderiram ao Programa de Fomento às Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral – Escola Educa Mais. Avaliadas por critérios estabelecidos pelo Ministério da Educação (MEC), as escolas fizeram a adesão após deliberação do Conselho Escolar, colegiado que representa os segmentos das escolas e que tem autonomia em decisões nesse sentido. São os seguintes colégios estaduais: Barão de Mauá, Gov. Augusto Franco e Professora Ofenísia Freire (Aracaju); Dom José Vicente Távora (Tomar do Geru); Epifânio Dória (Poço Verde); Roque José de Souza (Campo do Brito); Senador Gonçalo Rollemberg Leite (Japaratuba); Dr. Luiz Garcia (Brejo Grande); Josino Menezes (Japoatã); e Professora Noêmia de Souza (Poço Redondo).

A expansão 2021 para a rede estadual foi autorizada para 15 escolas. Os seguintes colégios estaduais não aceitaram a proposta: Governador Djenal Tavares de Queiroz (Moita Bonita); Murilo Braga (Itabaiana); Centro Estadual de Educação Profissional Gov. Marcelo Déda (Carmópolis); Francisco Figueiredo e Nações Unidas (Aquidabã) e o Almirante Tamandaré (Nossa Senhora de Lourdes). Tanto essas unidades quanto as que aderiram ao modelo Escola Educa Mais passaram por uma minuciosa avaliação que levou em consideração a infraestrutura, demanda, capacidade, além de indicadores socioeconômicos. Com a expansão, Sergipe passa a ter 58 unidades que ofertam a modalidade em 38 municípios.

Para o secretário da Seduc, professor Josué Modesto dos Passos Subrinho, a rede estadual de ensino caminha a passos largos a fim de cumprir as metas contidas no Plano Nacional de Educação (PNE), e a ampliação do ensino médio em tempo integral é uma delas. O gestor ainda ressalta o ganho na equalização das oportunidades em torno do modelo de ensino, o que possibilita a autonomia dos jovens sergipanos, bem como na qualificação dos professores por meio de formações continuadas e os avanços no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).

“Sergipe está entre os estados cujas escolas apresentaram melhores desempenhos em decorrência da implantação desse modelo, entre os anos de 2017 e 2019, conforme avaliação publicada pelo Instituto Sonho Grande. Nossas escolas que se enquadravam nessa situação tiveram um incremento de 23% no Ideb, e fomos o sexto estado com melhor desempenho, enquanto Santa Catarina, que teve melhor desempenho, apresentou um crescimento de 37%”, pontuou Modesto.

A implantação do Ensino Médio em Tempo Integral, em Sergipe, tem ocorrido de forma gradativa. “Ou seja, nas escolas que fazem a adesão, a cada ano se implanta uma série da modalidade, até completar o ciclo em três anos. Dessa forma é possível, por alguns anos, a convivência na mesma escola de modalidades e turnos de funcionamento distintos”, completou o secretário de Estado.

Situado no município de Japoatã, o Colégio Estadual Josino Menezes é uma das 10 escolas que passam a ofertar o EMTI em 2021. Para o diretor da unidade, professor José Antônio Santos Souza, o modelo de ensino é o futuro da Educação Pública. “Desde 2019, temos a pretensão de trazer o ensino integral para o Josino, e graças ao nosso Conselho Escolar e ao apoio do diretor da DRE 6, professor Max Silva, teremos esse modelo de ensino em nossa comunidade. Acredito no poder da educação e o que ela pode proporcionar. O ensino médio em tempo integral irá potencializar ainda mais as oportunidades para os jovens do nosso município”, concluiu ele, assegurando que os pais de alunos também estão entusiasmados com a oferta da nova modalidade.

De acordo com a coordenadora do Núcleo Gestor de Educação em Tempo Integral (Negti/Seduc), professora Emanoela Ramos, a expansão é um marco importante na universalização da oferta do modelo de ensino integral nas escolas sergipanas. “A gente expandiu de 48 para 58 unidades escolas, que fizeram adesão de forma democrática, a partir de consulta do Conselho Escolar e vão iniciar a implementação do EMTI. Todas irão começar com uma turma da 1ª série; mas a maioria iniciará o ano letivo 2021 com duas turmas de 1ª série”, disse ela, informando que Sergipe avança 34% no quantitativo de escolas que ofertam o ensino médio em tempo integral. O PNE prevê 50% até 2024.

A matrícula da rede estadual ocorre no período de 1º a 15 de março. Antes disso, a Seduc lançará o processo seletivo para recrutamento dos profissionais da educação pública estadual que vão atuar nas 10 novas escolas de EMTI. Em seguida, inicia-se a formação inicial por meio do Ambiente Virtual de Aprendizagem da Seduc (AVA), com momentos síncrono e assíncrono. “Teremos trilhas de formação específicas, nas quais a gente tem o conjunto de formações que vão ser ofertadas ao longo do ano”, concluiu Emanoela Ramos, informando que durante a capacitação, os cursistas conhecerão todas as especificidades do programa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *