Compartilhe:

Via ALESE – texto na íntegra

A deputada estadual Kitty Lima (Cidadania) protocolou na Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese) um projeto de lei para tornar a cachoeira do Dangi, em Nossa Senhora das Dores, patrimônio histórico e cultural do estado. O objetivo é conceder o devido título ao local quanto a sua importância material para o povo sergipano e impulsionar assim o turismo ecológico na região.

A Cachoeira do Dangi, localizada próxima ao povoado Gado Bravo do Sul, na região Sul do município, é um verdadeiro cartão postal que atrai moradores locais em busca de lazer e inúmeros visitantes durante todo o ano devido às suas águas de temperatura amena e cercada por um rico bioma natural. A iniciativa da deputada Kitty Lima em transformar a Cachoeira do Dangi patrimônio cultural ocorre também com o apoio da comunidade que considera o local como o mais importante e o mais representativo da sua identidade, da sua história e da sua cultura.

“A Cachoeira do Dangi já é um importante patrimônio da população dorense e das demais da região que reconhecem o valor cultural dela, a importância desse espaço para a comunidade de inúmeras maneiras. Nossa proposta vem apenas ratificar esse valor e reconhecer de forma legal a Cachoeira do Dangi para todo o estado”, explica Kitty.

De acordo com o artigo 216 da Constituição Federal Brasileira, constituem patrimônio cultural brasileiro os bens de natureza material e imaterial, tomados individualmente ou em conjunto, portadores de referência à identidade, à ação e à memória dos diferentes grupos formadores da sociedade brasileira. O patrimônio imaterial, por sua vez, é definido pela Organização das Nações Unidas para Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) como as práticas, representações, expressões, conhecimentos e técnicas – com os instrumentos, objetos, artefatos e lugares culturais que lhes são associados – que as comunidades, grupos e, em alguns casos, indivíduos reconhecem como parte integrante de seu patrimônio cultural.

“Ou seja, são os valores, os significados atribuídos pelas pessoas aos objetos, lugares ou às práticas culturais que os tornam patrimônio de uma coletividade, e nós queremos oficializar isso em relação a Cachoeira do Dangi para que possamos proteger esse patrimônio e buscar formas viáveis de sustentáveis de investimento para a região”, pontua Kitty.

Em fevereiro deste ano, a deputada esteve em Dores a convite do vereador local Lucas Lima (Cidadania) e percorreu toda a trilha ecológica que leva à Cachoeira do Dangi, cerca de uma hora e meia de caminhada. A trilha, que atravessa em diversos pontos mananciais do Rio Sergipe, é um verdadeiro convite para aqueles que querem ter contato direto com a flora e fauna da região, um passeio repleto de surpresas onde o visitante é presenteado ao final com o banho nas águas naturais da cachoeira.

Por conta desses atrativos a deputada Kitty Lima, em parceria com o vereador Lucas Lima, quer transformar o local em um grande atrativo turístico por meio da criação de um roteiro com opções de lazer voltadas ao turismo ecológico a fim de que os visitantes conheçam as belezas naturais que Nossa Senhora das Dores reserva.

“As pessoas precisam conhecer o que Dores tem a oferecer para o turismo sergipano. Mês passado estive no município e percorri toda a trilha até a Cachoeira do Dangi e posso afirmar que o passeio, além de divertido, é lindo demais. Além disso conhecemos o Museu Caipira que também fica na mesma região, onde estão exposto diversos objetos que contam a história dos povos antigos que habitaram a localidade. Para se ter ideia da relevância do trabalho que é desenvolvido lá, esse museu abriga um importante artefato estudado por pesquisadores e historiadores, uma urna onde eram sepultados os povos indígenas na região. Uma riqueza histórica e cultural imensurável e que também queremos incluir no roteiro ecológico que estamos elaborando para o município”, conta Kitty.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *