Compartilhe:

Via CNBB – texto na íntegra

As colunas e paredes seculares da Catedral Metropolitana da Arquidiocese de Olinda e Recife, em Pernambuco, agora expõem memórias de 500 famílias que tiveram suas vidas marcadas pelo coronavírus. São rostos que humanizam os números da pior crise sanitária que o Brasil atravessa nos últimos 100 anos. Além de prestar homenagens a todas as vítimas da doença no país, o Memorial Covid-19 também parabeniza os profissionais da área de saúde.

“Nas colunas centrais [em vermelho] colocamos as fotos das pessoas que morreram e no centro dessas fotos está o círio pascal, que é o símbolo da ressurreição, para dizer que essas pessoas hoje são ressuscitadas em Cristo. E nas paredes das laterais [em azul], quase que no mesmo alinhamento, estão as fotos dos profissionais da saúde. Ainda nessa imagem do abraço que queremos dar”, explicou a irmã Paula Souza, integrante da equipe de liturgia da catedral.

Inaugurado no último dia 15, data que marcou um ano do primeiro diagnóstico de Covid-19 em Pernambuco, o memorial foi aberto com uma vigília conduzida pelo arcebispo, dom Fernando Saburido. “Essa vigília é um momento orante em que pedimos a Deus pelas pessoas que partiram para a casa do Pai vítimas de Covid-19, por seus familiares de maneira especial, e rezamos pelos profissionais da saúde, verdadeiros heróis que estão servindo com muita disposição todos os que são vítimas dessa enfermidade”, afirmou.

Em outro gesto simbólico, dom Saburido entregou flores à médica Rita de Cássia Ferreira e à enfermeira Rita Martins que cuidaram dele durante o tempo em que esteve infectado pelo coronavírus.

Gilneide de Holanda Cavalcanti foi até a catedral encorajada por sua irmã Gilda. “Eu queria muito vir, mas não conseguiria sem ela”, disse, ferida pela perda do marido Roberto, de 68 anos, e do filho Rafael, de 33. Os dois morreram num intervalo de apenas quatro dias. “Na hora, o sentimento é de desespero, mas a fé e a oração vêm me sustentando até aqui”, declarou.

O Memorial Covid-19 seguirá exposto até o dia 23 de maio – Domingo de Pentecostes – na catedral, em Olinda (PE). Devido ao decreto do governo estadual que impôs quarentena entre 18 e 28 de março, as visitas estão suspensas. Com a reabertura das igrejas, os fiéis poderão visitar o memorial de terça a sexta das 9h às 16h, aos sábados das 11h às 16h, e nos domingos das 8h às 13h.

Com informações e fotos da Pascom Olinda e Recife

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *