Compartilhe:

Sabe aquela ligação no meio do expediente de trabalho ou ainda quando você está no trânsito, dirigindo, para comunicar espetaculares ofertas de créditos? Pois bem, esse tipo de serviço (sim, serviço) é conhecido como marketing ativo e pode estar com os dias contados.

A deputada Lauriete (PCS/ES) é a autora de uma interessante proposta que tramita na Câmara dos Deputados. O Projeto de Lei 826/21 quer proibir que instituições financeiras ofertem empréstimos, financiamentos e seguros por telefone.

Para quem descumprir a, quem sabe, futura regra, o texto prevê a aplicação de severas multas, podendo variar de R$ 200 a 1 mil salários mínimos. Mas, se a oferta for direcionada aos aposentados e pensionistas do INSS, cujo projeto objetiva proteger contra possíveis fraudes, aí a punição pode variar de 1 mil a 2 mil salários mínimos. Os valores arrecadados serão revertidos ao Fundo de Defesa de Direitos Difusos (FDD), responsável por gerir multas por danos aos consumidores.

Pois bem, para a parlamentar, “ao oferecer o empréstimo consignado por telemarketing ativo, omite taxas capciosamente embutidas, sendo o aposentado induzido a fornecer seus dados pessoais e ficando à mercê de ações de golpistas, podendo até realizar negócios contrários ao seu próprio interesse”.

E você? O que achou da proposta?

Com informações da Agência Câmara

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *