Compartilhe:

A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira (13/4) a Operação Deep Fakes, com o objetivo de desarticular uma organização criminosa responsável pela produção de cédulas e de documentos de identificação civil falsificados. Os criminosos também confeccionavam cartões de crédito clonados, produziam sistemas ilegais de busca de dados de pessoas, abriam contas bancárias clonadas, além de efetuarem diversas outras fraudes.

As investigações iniciaram com o desmantelamento de um laboratório no Ceará, em 23 de março de 2021. Na ocasião, foi preso o responsável pelo local, o qual se encontra preso preventivamente respondendo pelos crimes de moeda falsa, petrechos para falsificação, falsificação de documentos, estelionato, dentre outros.

Na ocasião, outros três responsáveis haviam se evadido, sendo presos nesta ação nas cidades de Maringá/PR, Santa Isabel do Ivaí/PR e Sete Lagoas/MG.

Cerca de 23 policiais cumpriram 5 mandados de busca e apreensão e 3 mandados de prisão preventiva. Foram apreendidas mídias com matrizes para produção de cédulas falsas de todos os valores, inclusive de R$ 200.

Ainda foram localizados maquinários para produção de moedas metálicas de 10, 20 e 50 centavos e também de R$ 1, além de materiais de fundição, moldes, centrífuga, forno, vulcanizadores e outros elementos para a fabricação de moedas metálicas falsificadas.

Além do material para a produção de cédulas e moedas falsificadas, os policiais federais apreenderam matrizes para a produção de documentos de identidade de todos os Estados da Federação, CNH´s, certidões de nascimento, casamento, óbito, diplomas de várias Universidades e outras documentações. Os documentos produzidos seriam utilizados para a realização de diversas fraudes, tal como a abertura de contas bancárias em nome de terceiros.

Também chamou a atenção a produção de cartões clonados, cartões cidadão e outros tipos de cartões para recebimento de benefícios previdenciários.

O montante apreendido em cédulas falsas até o momento soma aproximadamente R$ 300 mil, também tendo sido localizados R$ 70 mil em espécie e veículos sem origem em nome de terceiros.

A operação é decorrente do trabalho conjunto com a Diretoria de Segurança Corporativa da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. Importante ressaltar que a Polícia Federal, desde o ano de 2019, apreendeu aproximadamente R$ 10 milhões em cédulas falsas nas ações de combate às falsificações de moeda.

Destaca-se que em razão da situação de pandemia causada pelo coronavírus, foi adotada logística especial de preservação do contágio com distribuição de EPI’s a todos os envolvidos na missão, a fim de preservar a saúde dos policiais, testemunhas e investigados.

Fonte: Comunicação Social da Polícia Federal em Maringá/PR

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *