Compartilhe:

Na tarde da última sexta-feira (16), o Tribunal Superior Eleitoral (TSE)  realizou audiência pública por videoconferência para para a divulgação à sociedade de informações sobre a futura aquisição de até 176 mil novas urnas eletrônicas a serem utilizadas nas Eleições Gerais de 2022. Esse é o primeiro passo para o processo de licitação que obedecerá ao Sistema de Registro de Preços.

A mesa virtual da audiência pública foi presidida pelo juiz auxiliar da Presidência do TSE, Sandro Nunes Vieira, que ressaltou que as urnas eletrônicas são planejadas para serem substituídas após seis eleições, o que supera os 10 anos de uso desde a sua fabricação. Ele explicou que os principais motivos que levam a essa substituição são a obsolescência tecnológica, a necessidade de evolução da segurança ou o aumento da taxa de falhas nas urnas antigas. Assim, as mais de 194 mil urnas que completaram sua sexta eleição em 2020 devem ser substituídas antes do pleito de 2022.

Também integraram a mesa o diretor-geral, Rui Moreira, a secretária de Administração, Adaíres Aguiar, a chefe da Assessoria Jurídica, Mércia Oliveira, o secretário de Tecnologia da Informação, Giuseppe Janino, e o coordenador de Tecnologia Eleitoral do TSE, Rafael Azevedo.

O secretário Giuseppe Janino destacou que o Brasil é a quarta maior democracia do mundo e realiza, a cada dois anos, a maior eleição informatizada do planeta. “Saímos de um processo eleitoral manual, com baixos índices de credibilidade, até alcançarmos a confiança da maioria dos cidadãos brasileiros graças à introdução da tecnologia como base de todos os procedimentos eleitorais, que vão desde o registro do eleitor para a captação e a apuração do voto até a divulgação dos resultados das eleições”, ressaltou.

 Rafael Azevedo fez um breve relato sobre as especificações técnicas de hardware, software, segurança, modelo de design, garantia e manutenção, embalagens, suprimentos, peças de reposição e cronograma de entrega das urnas nas 27 capitais do país, entre outras especificações.

Os representantes das empresas especializadas inscritas para a audiência foram: Thialo Macedo e Marcelo Batistela (Daten); Marco Antônio Barbosa Lallo (Positivo Tecnologia); Vinícius Ferreira (HID Global); Zoltán Solymossy (Diebold); e Cristian Oliveira (Intel Brasil).

Segundo Giuseppe, o modelo UE 2022 vai melhorar e garantir o nível de excelência conquistado ao longo desses 25 anos, com segurança, integridade, auditabilidade e rastreabilidade, entre outros atributos.

Com informações do TSE

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *