Compartilhe:

Via ASMAA – adaptado


Em 2018, com o apoio de investidores locais, um grupo de motoristas que trabalha com aplicativos tradicionais, como Uber e 99, se organizou e criou a Associação Sergipana dos Motoristas Autônomos por Aplicativos – ASMAA. O presidente da associação, Josean dos Santos, popular Joza, trabalha com o seguimento de aplicativo há 5 anos. Ele afirma que a entidade tem como objetivo reunir todos os motoristas que atendem a demandas por aplicativo nos 75 municípios sergipanos. Após três anos da fundação, a entidade usará um aplicativo próprio e a intenção é que seus integrantes, mais de 10 mil atualmente, deixem de trabalhar para os demais. A nova plataforma cobrará taxa de agenciamento de 10% pelas viagens realizadas.

“Ficaremos com 90% do nosso lucro. Hoje com as altas taxas e preços dos aplicativos tradicionais, poucos são os motoristas que não têm que trabalhar de 12 a 16 horas para conseguir ganhar uma diária de R$ 250,00”, exemplifica o presidente. A ideia é que os associados deixem de fazer corridas a serviço da Uber, 99, Indriver e de empresas similares.

Ainda de acordo com Joza, além da verba para criar a plataforma de transporte de passageiros, cujo valor investido já chega a 315 mil, a associação conta com o apoio dos motoristas para divulgação da ideia nas redes sociais. A ASMAA também contará com um central de atendimento por telefone, WhatsApp, e-mail, Instagram e pelo site oficial do aplicativo.

“Até a data de lançamento, a ideia é aprimorar a instituição e o aplicativo e atrair mais motoristas. A meta é obter 15 mil associados no estado. Além de ficarem com o valor de 90% da corrida e não precisarem pagar qualquer taxa à instituição, os profissionais terão benefícios como linha de crédito, parcerias com estabelecimentos comerciais, proteção veicular, plano de saúde por telemedicina e acesso a cursos, palestras e rotas turísticas, um clube de vantagens e a possibilidade de fazer compras coletivas com menor custo (máscara, álcool, balas, água e acessórios automotivos)”, conta Joza.

Batizado de I-MOBILE, o aplicativo funcionará nos moldes já conhecidos, com serviço de geolocalização, identificação do carro e do motorista e avaliação. O preço da corrida não deverá sofrer alterações, mas os idealizadores garantem que o serviço terá mais qualidade.

“Nossos investidores, que preferem não aparecer, se solidarizaram com a causa e querem criar uma nova realidade para o modelo de distribuição deste serviço, pautado e fundamentado na economia solidária, em que o negócio é feito para nós. Essa realidade veio para ajudar e facilitar a vida dos cidadãos e não para proveito e enriquecimento próprio. E nós, motoristas, com toda certeza queremos sair desse modelo de escravidão exploração por plataformas digitais. Não se trata mais de uma empresa estrangeira que não conhece os motoristas e nada pode fazer além de devolver o dinheiro da corrida, em caso de algum problema, como acontece hoje. Os motoristas serão avaliados e bem preparados, e, para o caso de haver necessidade de devolução ou ressarcimento ao usuário por um motivo justo, já oferecemos um fundo de apoio ao Motorista administrado pela associação. Mas com profissionais satisfeitos, instruídos e bem remunerados a qualidade do serviço certamente só tende a melhorar”, destaca o presidente da ASMAA.

O lançamento da I-MOBILE está programado para ocorrer no dia 01 de maio, feriado nacional dedicado ao trabalhador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *