Compartilhe:

Com informações do SINTESE

Após a liberação das aulas presenciais para as turmas do 1º e 2º anos em Sergipe, a partir de hoje (10), os membros do SINTESE – Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica da Rede Oficial do Estado de Sergipe – decidiram decretar greve e permanecer apenas com as atividades remotas nas escolas de todo o estado.

Em ato exigindo testagem em massa dos estudantes, vacinação dos trabalhadores da Educação (professores e funcionários de escola) e condições sanitárias das escolas, os manifestantes lançaram ao chão, defronte à SEDUC, groselha diluída em água para simbolizar o sangue derramado de professores, estudantes, funcionários de escolas e seus respectivos familiares caso as aulas presenciais sejam retomadas sem que haja a vacinação.

Foto: Luana Capistrano/SINTESE

“Nossa reivindicação é para que se suspenda o decreto de retorno às aulas e se constitua uma comissão composta por representações do governo, dos trabalhadores da Educação, dos pais, dos estudantes para que juntos possamos avaliar e buscar alternativas para que o retorno as aulas presenciais seja seguro e não uma sentença de morte”, afirma a presidenta do SINTESE, Ivonete Cruz.

Os professores também questionavam o secretário de Estado de Educação, Josué Modesto dos Passos Subrinho, a despeito dos critérios utilizados para embasar a decisão estabelecida no Decreto Estadual n° 40.883 do dia 28 de abril (que homologa a Resolução nº 18 do Comitê Técnico Científico) pelo Belivaldo Chagas (PSB/SE).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *