Compartilhe:

Via IBAMA – texto na íntegra

São Paulo (17/05/2021) – Símbolo do cerrado brasileiro, o lobo-guará (Chrysocyon brachyurus) é animal considerado em estado vulnerável à extinção. Pensando nisso o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), em parceria com a entidade de proteção à fauna Associação Vida Silvestre (Avis), encaminhou no início do mês uma fêmea reabilitada mas sem condições de reintegração à natureza para programa de reprodução de espécie ameaçada para fins de conservação.

Em junho de 2020 a lobo-guará foi resgatada próximo ao Núcleo Santa Virgínia no Parque estadual da Serra do Mar após passar por trauma, provavelmente atropelamento, que resultou em múltiplas fraturas. O animal foi transportado pela Polícia Militar Ambiental de São Paulo para uma Área de Soltura de Animais Silvestres (Asas) cadastrada pelo Instituto e administrada pela Avis. Como seu estado era grave, foi encaminhada imediatamente para atendimento médico veterinário na cidade de Campos do Jordão/SP.

Uma equipe multidisciplinar foi encarregada do atendimento emergencial e da definição dos procedimentos que seriam necessários para a sobrevivência e a recuperação do animal, que após avaliação clínica, passou por cirurgia complexa para tratamento das fraturas. Todo o processo até a reabilitação foi acompanhado por equipe do Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas) do Ibama em Lorena/SP.

Com aproximadamente 20kg, e já recuperada, porém sem condições de voltar à natureza pelas restrições causadas pelas fraturas, a fêmea de lobo-guará foi integrada a Programa de Cativeiro de Espécies Ameaçadas . O Ibama e a Avis consultaram o Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Mamíferos Carnívoros do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (Cenap/ICMBio), que sugeriu a destinação do animal. O Programa de Cativeiro é coordenado pelo ICMBio em parceria com a Associação de Zoológicos e Aquários do Brasil (Azab), e segue as diretrizes e ações previstas nos Planos de Ação Nacional para a Conservação de Espécies Ameaçadas de Extinção (PANs).

O Zoológico de Camboriú, em Santa Catarina, é signatário do Programa de Cativeiro do Lobo-Guará e foi o local escolhido para receber a fêmea. O animal chegou bem e foi acolhido por técnicos que iniciaram as providências para o pareamento da loba com o macho da espécie que já compunha o plantel do zoológico e estava sozinho. A expectativa é que formado o casal, os animais possam procriar.

Lobos-guará têm de um a cinco filhotes por gestação, que dura até 65 dias. Esses animais podem viver de 10 a 12 anos em vida livre e 22 anos em cativeiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *