Compartilhe:

Via Agência Sergipe de Notícias – texto na íntegra

A Secretaria de Estado da Saúde de Sergipe iniciará na próxima segunda-feira, 24, a imunização dos profissionais de educação da rede pública e privada de ensino. A vacinação ocorrerá de forma gradual, neste momento serão vacinados trabalhadores com faixa etária entre os 45 e 59 anos.

Nesta fase serão imunizados os profissionais que estão em atividade ou vão atuar em creches, pré-escolas e nas séries iniciais do ensino fundamental, ou seja, primeiro e segundo ano. Além dos professores, são considerados parte desse grupo, outros profissionais que estão dentro das unidades escolares, tais como merendeiras, vigilantes, oficiais administrativos, executores de serviços básicos, etc.

Para a decisão e articulação sobre essa nova etapa de vacinação, reuniram-se o diretor de Vigilância em Saúde, Marco Aurélio Góes, a enfermeira do Programa de Imunização, Ana Beatriz Lira, o superintendente Especial de Planejamento do Governo de Sergipe, Marcel Resende, a secretária Municipal de Saúde de Aracaju, Waneska Barboza, a secretária Municipal de Educação de Aracaju, Cecília Leite, p presidente da Federação das Escolas Particulares do Estado de Sergipe, Renir Damasceno,  e a representante da Secretaria de Estado da Educação, Joniely Cruz.  

O quantitativo definitivo de profissionais que deverão receber a primeira dose está em atualização, pois, muitas unidades de educação ainda não encaminharam os dados necessários. Inicialmente, os gestores estão seguindo as informações do censo escolar 2020 para o planejamento das ações de imunização. 
“As doses serão enviadas a partir de uma reserva técnica que o estado possui, não contempla a totalidade dos profissionais da educação do estado de Sergipe, por isso, iremos começar por etapas. Primeiramente, quem está em atividade ou está para voltar ao presencial, privilegiando aquele grupo de professores que já está em atuação há mais tempo, que são os trabalhadores da educação infantil e primeiros anos do ensino fundamental, com o recorte de faixa-etária, para conseguirmos aplicar em toda essa população”, destacou o diretor de Vigilância em Saúde, Marco Aurélio Góes.

Marco Aurélio ressaltou, ainda, que os municípios terão autonomia para gerir a agenda de imunização, avançando de acordo com a realidade de cada cidade. “Temos municípios que irão conseguir avançar mais rápido na imunização e chegar até professores e profissionais da educação mais novos, talvez, com o quantitativo recebido consiga vacinar 100 por cento dos seus trabalhadores da educação. O que a gente está mandando é uma estimativa. Mas a gente recomenda que o avanço seja gradativo para garantir que aqueles com idade superior sejam vacinados antes dos mais novos. Cada gestor municipal tem a independência em determinar como vai ser a sua vacinação, fica sob responsabilidade e governança do município”, reiterou.
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *