Compartilhe:

Alex Batista dos Santos, o Alex Formiguinha, secretário de Indústria e Comércio de Tobias Barreto, pediu, em pronunciamento feito na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania da Câmara de Vereadores, que a proposta que visa alterar o dia da Feira da Coruja não seja votada enquanto perdurar a pandemia. Segundo o secretário, várias cidades estão decretando o fechamento das atividades comerciais como medida para enfrentar a pandemia de COVID-19 e que Tobias Barreto luta para manter o comércio aberto.

“Eu quero pedir a esta casa que a gente reveja que esse momento não é propício para a gente definir, numa pandemia, qualquer coisa importante como a Feira da Coruja. Nós temos que vestir a mesma camisa. Não é a camisa da quarta, não é a camisa da quinta, não é a camisa do domingo e não é a camisa da segunda e, sim, uma camisa que deixe nosso comércio aberto”, ponderou o secretário, salientado que este também é o pensamento do prefeito, Dilson de Agripino (Cidadania/SE).

“A administração não quer fechar o comércio. Ela quer ampliar o comércio para que possamos dividir. Nós temos clientes na quarta e quinta, no domingo e na segunda, para que tenhamos duas feiras e dividir o público”, continuou Alex reforçando que durante a pandemia a concentração apenas em um dia pode provocar aglomeração. “… Se só tiver um dia para você ir para aquele lugar é lógico que vai aglomerar e expandir o COVID-19”, disse.

O presidente da CCJC, vereador Júnior Cisneiros, após exibição de vídeo do médico João Ribeiro a despeito da situação pandêmica da região, agradeceu pela recomendação do secretário. “Espero que todos acatem e solicito que a nossa diretoria possa colher informações, mais uma vez, solicitar via ofício, tanto dos funcionários que querem a mudança da feira somente para quarta-feira que nos envie o relatório para que possa ser avaliado e solicito também, do representante dos comerciários, na pessoa de Marcos Andrade, que tragam essa pesquisa para que nós possamos analisar, e solicito, já aqui, de forma verbal e presencial, que o senhor possa nos trazer o relatório de impacto socioeconômico”, enalteceu o presidente, dirigindo-se ao secretário.

“Não vamos parar. Repito: não irei fazer a retirada do projeto. Não irei. Mas, irei respeitar o momento em que estamos vivendo e, principalmente respeitar as vidas. Acho que devemos sair daqui, se possível, a busca do gestor público municipal, da secretária de saúde, Angélica, para que ela possa nos mostrar um plano de ação contra esse momento tão difícil que estamos vivendo”, assegurou o presidente. A análise do projeto ficará no aguardo da documentação e será retomada assim que esse momento difícil passar, disse Júnior Cisneiros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *