Compartilhe:

Agência Sergipe de Notícias

A presença de agrotóxicos em alimentos, água e solos poderá ser monitorada em Sergipe com o uso de tecnologia avançada. Um novo equipamento instalado no Instituto Tecnológico e de Pesquisas do Estado de Sergipe (ITPS) permitirá identificar resíduos de agrotóxicos em baixíssimos níveis em amostras de alimentos, água e solos. Em visita técnica realizada nesta quarta-feira (6), autoridades e técnicos conferiram de perto as instalações do novo aparelho, que será utilizado em análises e pesquisas científicas.

Denominado cromatógrafo líquido acoplado a espectrômetro de massa (LC-MS/MS), o sistema foi adquirido por meio de parceria do Governo do Estado, através da Sedurbs e ITPS, com os ministérios públicos do Trabalho (MPT/SE) e de Sergipe (MPSE). Foram investidos mais de R$ 1,7 milhão na operação, sendo R$ 816 mil do Estado e R$ 906 mil das instituições parceiras. O objetivo da iniciativa é garantir maior segurança alimentar para a população.

O novo sistema adquirido pelo ITPS é capaz de detectar com altos níveis de precisão e exatidão os resíduos de agrotóxicos contidos em amostras de alimentos, água e solos. Os resultados servirão para avaliação do cumprimento dos parâmetros estabelecidos pelo Ministério da Saúde e pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Com o equipamento, poderão ser feitas a identificação e a quantificação de mais de 280 princípios ativos em agrotóxicos, voláteis e não voláteis, em diversos tipos de amostras.

O cromatógrafo se encontra instalado no Laboratório de Química Orgânica do ITPS, que passou por adaptações para receber o sistema de acordo com as normas técnicas. Ao longo de outubro, a equipe do ITPS passará por treinamento operacional para, posteriormente, iniciar as aplicações e implantar metodologias. Com a validação dos métodos, o sistema será utilizado na prestação de serviços.

“Sendo um órgão público, o ITPS entende que deve estar voltado à sociedade. Então, nada mais justo do que trazer uma devolutiva ao povo sergipano por meio de seus trabalhos, seja na área de pesquisas ou de serviços tecnológicos. Com esse novo equipamento, poderemos desenvolver e ampliar nosso escopo em pesquisas na área de agrotóxicos, alimentos e água, exatamente como se espera de um órgão do segmento de Ciência, Tecnologia e Inovação”, contextualiza o diretor-presidente do ITPS, Kaká Andrade.

Pesquisas

O novo sistema será parte fundamental na pesquisa “Implementação de metodologias para determinação de resíduos de agrotóxicos em alimentos e águas superficiais”, que está sob coordenação da pesquisadora Débora Bezerra, cujo projeto foi selecionado por meio de edital promovido pela Fundação de Apoio à Pesquisa e à Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe (Fapitec) para a concessão de bolsas de Desenvolvimento Tecnológico Regional (DTR).

“O objetivo é implementar metodologias que já foram previamente estabelecidas na literatura científica para análise de agrotóxicos em alimentos, água e solos. A intenção é que essas metodologias sejam validadas e fiquem disponíveis como prestação de serviços do ITPS”, afirma a diretora técnica do ITPS, Lúcia Calumby.

Parceria

O procurador do Trabalho do MPT/SE, Emerson Rezende, destaca a soma entre as diversas entidades que participaram da aquisição do equipamento. “A parceria entre os órgãos maximiza a atuação de cada um, para prestar um serviço de excelência à comunidade. Saímos daqui muito satisfeitos, e contamos que essa parceria continue e que cada vez mais traga bons frutos para a sociedade sergipana”, comenta.

“A chegada do equipamento é fundamental e representa uma evolução de longo prazo. Diversos laboratórios estão sediados no ITPS, e todos são fundamentais para garantir a segurança da alimentação e a saúde da população. A parceria do Ministério Público foi decisiva nesse sentido, com a destinação de recursos significativos”, salienta o secretário José Augusto Carvalho, titular da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia (Sedetec), à qual o ITPS é vinculado.

A promotora de Justiça Cláudia Calmon, do MPSE, também enfatiza a relevância da parceria. “Concretizamos com essa parceria um grande sonho, que era ter um laboratório de resíduos de agrotóxicos no estado. É um projeto que, junto com o software que temos implantado na Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro), permitirá que façamos o rastreamento e análise de produtos agrícolas e vendidos em supermercados e feiras. Poderemos, agora, consumir produtos sabendo que estão livres de agrotóxicos e trazer essa consciência para todos os produtores e comerciantes de verduras, frutas e legumes do estado”, diz.

Também estiveram presentes na visita técnica, a diretora de Defesa Animal e Vegetal da Emdagro, Aparecida Andrade; a coordenadora de Insumos Agropecuários da Emdagro, Aglênia Araújo; o subprocurador-Geral de Justiça do Ministério Público de Sergipe, Ernesto Anízio; e a superintendente da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade (Sedurbs), Débora Dias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *