Compartilhe:

Agência Sergipe de Notícias – texto na íntegra

Ao longo desta semana, os municípios do Alto Sertão Sergipano (Nossa Senhora da Glória, Poço Redondo, Canindé do São Francisco, Gararu, Porto da Folha e Monte Alegre de Sergipe) recebem os cartões e senhas do Programa Mão Amiga – Pró-Sertão Bacia Leiteira. Com objetivo de mitigar os efeitos da seca na cadeia produtiva do leite, beneficiando até 3.700 famílias sergipanas, a nova vertente do programa estadual é executada em parceria entre a Secretaria de Estado da Inclusão e Assistência Social – SEIAS e a Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe – Emdagro.

O programa é direcionado às famílias pequenas criadoras de bovinos leiteiros, com rebanho de até dez cabeças de gado e ao menos uma fêmea. Cada produtor cadastrado receberá quatro parcelas de R$250, a serem pagas no período de estiagem – dezembro, janeiro, fevereiro e março – com recursos do Fundo Estadual de Combate e Erradicação da Pobreza (Funcep), através da Seias. Neste primeiro lote de inscrições, serão beneficiados 1.008 criadores. Está em andamento o processamento de abertura de contas para novos inscritos durante este mês de dezembro. Os criadores que ainda não se inscreveram deverão procurar os escritórios da Emdagro para pleitear o benefício nos municípios.

Foto: Agência Sergipe de Notícias

A primeira entrega aconteceu na segunda-feira (13), em Nossa Senhora da Glória. A secretária de Estado da Inclusão e Assistência Social, Lucivanda Nunes, esteve presente e destacou, além da importância do Mão Amiga, o investimento autorizado pelo governador Belivaldo Chagas para novo edital do Programa de Aquisição de Alimentos – PAA. “Aproveitamos esse momento do Mão Amiga na cidade de Glória, em que o governador também esteve presente, para formalizar a assinatura que nos autorizou a lançar mais um edital do PAA, programa federal que cuida do pequeno agricultor. É importante destacar que os programas que executamos junto a população do campo, a exemplo do Mão Amiga e CMais, só são possíveis com o apoio do Banco do Estado de Sergipe – Banese, a quem agradeço na pessoa do presidente Helom Oliveira e do diretor Ademario Alves”, disse Lucivanda. 

Desde 2009, o programa Mão Amiga já beneficia os cortadores de cana e catadores de laranja. Para a gerente do Programa Mão Amiga na Seias, Maria Auta Carvalho, a ampliação para a bacia leiteira sergipana significa um avanço nas políticas públicas para a população do campo. “O Governo criou mais essa vertente justamente para atender a esses pequenos agricultores que, durante a estiagem, sofrem as consequências da seca. Esse benefício vem para dar um suporte para esses pequenos produtores, não só com a questão da sobrevivência do gado, que é a fonte de renda deles, mas também buscando manter a qualidade do animal, através da garantia de alimentação e vacinação dos rebanhos”, afirmou Auta. 

O secretário municipal de agricultura de Nossa Senhora da Glória, Djalci Aragão, destacou a importância da entrega dos 145 cartões e senhas na cidade, em um trabalho feito através de parceria da Seias, Emdagro, Banese e secretarias municipais. “Esse programa vem para oxigenar a cadeia da produção do leite. O governador acertou em criar o programa Mão Amiga Bacia Leiteira, pois vai garantir a alimentação do nosso rebanho por mais tempo. Todo o Alto Sertão vive do leite. Glória e toda a região serão contempladas com esse programa, que veio para fortalecer essa cadeia que movimenta a nossa economia e cresce a cada dia, mais gerando renda para os municípios e famílias”, disse Djalci. 

As famílias beneficiadas pelo novo programa externaram a satisfação em receber o benefício, a exemplo do criador José Anselmo Vieira. “Sou produtor e trabalho com isso desde muito novo. Para nós, é uma alegria porque vivemos no campo e isso vai ajudar muito”, comemorou. Já a produtora Ilma da Silva Santos Gois, também de Nossa Senhora da Glória, conta que o benefício veio num momento muito difícil para as famílias. “As coisas estão difíceis, apertando muito. Então, mesmo com a chegada das chuvas, o benefício nos ajuda a garantir alimentação ao gado, nos deixando tranquilas quanto à produção e qualidade dela”, concluiu a pequena criadora de bovinos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *